18 de dez de 2016

ENTREVISTA COM KARINA ZULAUF - EM SUAS ASAS

Oi gente, tudo bem? Hoje o post é muito especial, pois vamos conhecer um pouco mais da incrível escritora Karina Zulauf. Ela escreveu o livro Em suas asas, no qual li e resenhei no blog. Então procurei ela para vocês a conhecerem e descobrirem o porquê dela ter começado a escrever, ou coisas do tipo.


1- Primeiro, nos conte sobre você.
Meu nome é Karina Zulauf Tironi, tenho 17 anos atualmente e publiquei meu primeiro livro (terminado) ano passado, em Setembro. Escrevi o “Em Suas Asas” com 13 pra 14 anos, mas gosto de escrever desde os 8, mais ou menos.
Quando me perguntavam o que eu queria ser quando crescesse, eu nunca falava escritora, sempre era veterinária – mais pelo meu amor por animais, porque eu odiaria ter que fazer uma cirurgia em algum –, ou nutricionista. Então, quando terminei de escrever o “Em Suas Asas” eu nem pensei em publicá-lo, porque eu tinha escrito somente para o meu prazer, e nada mais. Só recentemente que pensei realmente em publicar meus escritos.

Sou uma pessoa bem tranquila, bem zen, bem da paz... A minha tia até uma vez me disse que eu pareço meio hippie, porque sou vegetariana e tal. Gosto muito de conversar, principalmente se for uma conversa inteligente, e não aquele “Oi. Oi, tudo bem? Sim e com você? Também, novidades?”. Quero muito que meus livros fiquem conhecidos, porque sempre que alguém que ler vir falar comigo eu tratarei com o maior respeito, como amigo(a). A Kéfera publicou que estava lendo o meu livro no Snapchat e depois me respondeu no Twitter, o que fez com que muita gente descobrisse o “Em Suas Asas” e foi muito bom <3


2- De onde vieram suas inspirações para começar a escrever?
Veio de uma ideia: se eu conseguiria escrever como os(as) autores(as) dos livros que eu lia. E, também, criar algo totalmente novo, que ninguém tinha escrito sobre ainda. Bem ingênuo para alguém que agora é uma escritora. Arte é uma coisa que me inspira muito, livros, filmes, danças, pinturas, música, todo tipo de coisa.
Hoje em dia minhas inspirações são sobre escrever sobre coisas que, de alguma maneira, ajudem as pessoas. Livros normais, como qualquer romance, mas com pontadas camufladas de coisas sérias. Como, por exemplo, bullying, homofobia, etc...

3- Quando soube que iria lançar seu livro ' Em suas asas ', como você ficou? Quanto aos sentimentos e as emoções?
Foi mais ou menos dois anos depois de ter o escrito que eu decidi que estava pronta para publicar um livro e tomar todas as responsabilidades de divulga-lo. Eu estava madura o suficiente, e fico aliviada de ter esperado, porque, com 14 anos, teria sido bem mais complicado.

Olhando por cima, agora, vejo que foi um processo bem natural, não surtei, nem nada. Mas, quando a editora me enviou a capa para a confirmação, eu desmoronei, de verdade. Chorei muito, porque era exatamente como eu imaginava que seria, talvez ainda melhor. Eu estava sozinha em casa naquele dia e lembro de mandar uma foto pra minha mãe da capa e ela também ter amado. Agradeci mil vezes à editora e disse que ela era a melhor editora que eu poderia ter escolhido para publicar meu livro.


4- Tem algum próximo projeto em mente?
Eu já tenho mais três livros prontos, um sobre ficção e os outros dois mais realistas. Inclusive, eu só estou esperando que minha corretora termine de corrigir para mandar para a editora. Gostaria de publicar por meados de Junho...

5- Os seus amigos e familiares te apoiaram no lançamento do livro?

Nossa, eles super me apoiaram. Principalmente minha mãe, que estava sempre positiva durante todo o processo. Meus amigos também, desde o começo, quando eu mostrava rascunhos de escritos meus, eles diziam que eu deveria publicar. Foi muito bom ter eles do meu lado, porque me fez ver que eu estava indo para o caminho certo.

6- Quais são suas expectativas para daqui anos no mundo literário? 
Olha, eu realmente espero ter publicado bastante livros, ter ido a bastante Bienais do Livro, autografado muuuuito e ter feito muitos amigos leitores. Sério, você não imagina minha vontade de conversar com as pessoas todo o tempo, muito provavelmente elas seriam mais minhas amigas que fãs, hahaha.

Espero também que pelo menos uma pessoa tenha vindo para mim e me dito tipo: “puxa, Karina, o seu livro me ajudou a passar por um momento difícil” ou “pude aconselhar um amigo meu pois ele estava sofrendo pela mesma coisa que o personagem do seu livro”.

7- Se você pudesse escolher um livro como preferido escolheria qual?

Isso é uma pergunta muito difícil, mas tem dois que realmente mexeram comigo. Internacional é O Despertar do Príncipe da Colleen Houck e nacional Perdida, da Carina Rissi <3 (desculpa, não deu pra escolher só um!).

8- E se pudesse escolher um autor ou autora, quem escolheria?
Vou repedir da minha resposta anterior, kkk, Colleen Houck e Carina Rissi. Amo de paixão as duas.

9- Já pensou em desistir alguma vez de publicar o seu livro, ou de qualquer outra coisa?
Eu nunca pensei em parar de escrever, às vezes dava bloqueio criativo, quando eu estava morrendo de vontade de escrever mas não saia nada. É bem triste quando acontece isso, porque um dia em que eu passo sem escrever ao menos um parágrafo é um dia improdutivo.
Mas, respondendo melhor a pergunta, nunca pensei em desistir dos meus livros :D

10- Deixe uma mensagem para os leitores do seu livro.
Eu fico muito feliz por ter tanta gente que gostou do meu livro e pelos que pediram por uma continuação! Sério, meu coração chega a doer. Por mim, eu daria os livros sem cobrar nada, mas, como o mundo só gira por causa da circulação do dinheiro e eu preciso dele para publicar meus próximos livros, não posso oferecer de graça para as pessoas, infelizmente...
Eu só tenho a agradecer pelos comentários dos que leram, sejam eles bons ou críticas construtivas. E quero dizer que, se você tem um sonho de publicar um livro um dia, não jogue esse sonho fora caso receba alguns nãos ou não tenha apoio suficiente. Se você gosta de do que faz, vai em frente, e isso serve para qualquer área da vida. 
Porque, quando se faz algo com amor, as chances de dar certo são enormes.
Um beijão, e obrigada, Julia, pela entrevista <3

Bom, acaba por aqui. Amei a visita da Karina aqui no blog, e se você ainda não leu o livro dela, leia. É puro amor!

Um comentário: